Um dia eu me perguntei sobre o que poderia existir além do que os meus olhos já viram ou poderiam ver…

Fiquei lá

Mergulhando mais uma vez na vida, mesmo com tantas dificuldades em respirar de baixo d’água

Tem coisa que dói muito

E te faz mudar alguma coisa – atravessar medos já quase exterminados, caça às bruxas, circo de horror

Não precisam respeitar ninguém. Políticos (aos montes) evoluindo em si personalidades negativas (para si) e expositivamente atrativas (para ti)

Fiquei lá

Me machucando pra tentar entender isto também. Acho que resolvi parar de me machucar, que coisa mais chata

Foi quando tudo mudou. Fui literalmente recompensado por traições onde mesmo desapegado destas dores, me machucaram um pouquinho

O céu hoje está bem azul

O calor faz eu sentir toda a pele do meu corpo. Como se fosse uma roupa se molhando e refrescando o tempo todo. Mas, pra todo o resto, eu me sinto como em 1822

Com trajes de uma outra época

Lutando por coisas que não se lutam mais

Me despedindo de parentes aos montes

Se desprenderam de seus corpos e levam consigo tanta coisa

Pra deixar lá

No lugar onde você lembra de tudo e de todos desde sempre… mas não pra sempre. Nenhuma eternidade tem esse tempo todo. Tem coisas passando, acho que eu desisti muito fácil de tudo que só existe porque eu dei a vida, mas deixei

Aqui a gente não lembra de quase nada. Suei pesado pra lembrar do que tenho sentido. Foi um parto…

Agora quero ser Pai

De três. Mas se vier dois, um, ou até quatro: não tem problema

Se for vermelho ou amarelo, também não tem problema

E pra toda e qualquer outra cor ou diferença que eles possam ter:

Também não tem problema

Tem coisas que não são nossas… na verdade, quase tudo não é nosso. Parei de tomar pra mim o que não é meu. Deixei lá… mas eu havia me esquecido. Quando eu nasci eu esqueci de muita coisa

Mas hoje já lembro um pouquinho

Me deu uma paz no peito. Um café-da-manhã bem calmo, acordei cedo, arrumei a minha cama e só fiquei lá… respirando, olhando para as coisas

Antes de viver o meu dia

Assim foram os últimos meses. Eu estava lá, aparentemente parado mas vendo tudo

(E todos, até que resolvi focar a totalidade da vida em mim)

Deu pra ver muito melhor todo o mundo. Era eu… em mim… vivendo esta vida aqui

Tenho sido muito feliz

E neste instante, serei mais um pouquinho

Buonanotte a tutti.

Igor Florim