A noite já passou

Quando penso que nos veremos em breve

Já é dia

Mas ainda tudo começando

Um recomeçar

O sol começa a aparecer e os primeiros raios do dia fazem tudo ficar saturado em tons laranja sci-fi

Tua calça

Teus passos

Teu rosto

Tudo isso em minha direção

O dia começou pra valer

Notamos que algumas horas haviam se passado, só depois de muita coisa

Estrada

Cidades

Paisagens

Praia

Nos obrigamos a parar um pouco para contemplar esse lugar

Na tentativa de não nos olharmos incessantemente o tempo todo

Pois eu estive dentro de ti nas últimas horas

Quase nem notei todo o percurso até aqui

Galhardia

De mãos dadas

E todos olhando

Como se o mundo fosse isso

Essa depravação toda

Porém somos fortes demais

E todos aprenderam coisas novas ao nos ver assim

Ação necessária para dois mil e vinte

Como se fosse preciso focar nesse tipo de cenário

Mas por tantas vezes assim ainda é

Falso moralismo que enjoa

Hipocrisia então, daria a minha vida para ver o fim

E verei

Essa é a minha ira

A de aceitar o mundo e fazer o mundo inteiro se aceitar

Tem coisas que não podemos nos conformar

Acomodados que se mudem

É muito fácil não intervir na briga de uma mulher que apanha do marido no meio da rua

Ou da travesti morta a pauladas

E não, não estou citando famosos casos midiáticos de vários anos atrás

Isso acontece hoje

Ontem

Semana passada

Agora

E tu se cala

Talvez seja rude demais pensar na travesti da rua

Quando provavelmente, ela deve estar muito mais desperta e evoluída do que ti

Talvez te envergonhe falar dessas e de outras mulheres

Essa é a minha ira

Mas haverá tempo para tudo isso

E viveremos muito para incessantemente trabalhar

Concretamente assim

Sólidos

Invictos

Sem mais nos contaminar com essa mundiça que é o seu preconceito

Que diz mais sobre você do que sobre o que tu não tolera

Mostra seu demônio

Sua maldade ancestral

E o quanto tu não se aceita de verdade

Para se importar e querer definir liberdades alheias

Para o seu ego dormir quentinho

Mas aqui não, não mais

Revolucionaremos tudo isso

O bom e velho: vá cuidar da sua própria vida

E tente prosperar

Porque seu ódio te mantém afundado em lamas

E não retém para si nada do meu próspero voo

Foi assim que tu pensou em muitas coisas

Ao me ver voar

Te encaro

Parece que tudo isso sou eu

Tu me encanta

Certamente depois dessa praia, a vida será sempre tudo isso

Esse mundo de levezas que é estar dentro de ti

Saborear tuas partes todas

Ter um pouco de você

Há coisas caindo dos céus

Notamos num último beijo

Antes da vida transpassar

E aquelas preocupações terrenas, já serem resolvidas e saudadas

Num tempo de outras revoluções

Tudo isso ainda em trajeto

Numa rota rumo ao norte

Vamos conhecer novas praias

Que bom que tenho você comigo

Tu me contou que minha alma é galharda

E vi as mesmas coisas em ti

O mundo nunca mais foi o mesmo

Grandes revoluções

Tudo passou tão rápido

Tivemos tanta força

Vivacidade pura

Este é o recomeço do mundo: vivo.

Igor Florim