Reta final

É assim que se termina esse dia

Tudo calmo

Sucumbido pela escuridão lenta e gradual… crepúsculo dominando tudo

A noite vem com seu silêncio

Nenhum ruído

Talvez todos os seres vivos e vegetais deste mundo estejam agora, respirando profundo

Dormindo um pouco

Observando a concreta finalização do tempo

O dia que se termina

E o quanto isso não significa nada, com a noite dando sequência ao relógio

Não foi tempo perdido

Eu recarreguei minhas energias

Aquela cena

Aquele lugar

Acendi um cigarro que eu mesmo enrolei

Poucos prazeres tem sido tão relevantes quanto esse

O de escolher minhas ervas

Cuidar detalhadamente de tudo

E enrolar um cigarro para um momento ideal

Uma aula de humildade e lucidez

Tenho aprendido a dar valor aos momentos da minha vida

Para que estes de prazer não precisem se fazer constantes

Mas livres

Conforme você querer

Cada trago me liberta mais um pouco

E abre tanto a minha mente, que só alguns tragos já bastam

THC

Dizem por aí coisas que nunca foram provadas

E há cem anos estamos marginalizando e queimando plantas ilegais

Nos achando superiores aos milênios antes dos cem anos em questão

É quase uma experiência infantil, que aos cem anos quer se fazer mais inteligente do que quem tem vários mil anos de idade. É uma piada

É irrelevante

Uma criança que ainda não aprendeu a falar e reproduz preconceitos vagos

Por isso adotei outras medidas para a minha vida: não importa quantos achem errado, se eu estiver certo de algo, com base em estudos, ancestralidades e lucidez, continuarei em frente

Entenda – O BRASIL NÃO É UMA ILHA

Com muito respeito à vida, tudo e todos

Inverto o jogo:

Me prove o contrário

Pois seus argumentos são preconceituosos e sem informação alguma

Gado

Reproduzindo nada com nada

Me dei ao direito de concluir o meu dia fumando maconha

E adoraria que você me julgasse por isso

Afinal isso diz mais sobre você do que sobre mim

Ou sobre a maconha

Eu posso morrer por tomar qualquer tipo de bebida alcoólica em excesso, ou todos os dias em quantidades “normais”

O nome disso é overdose

Ou se for uso gradual, doenças que irão te matar

E eu desde criança vi essa romantização toda, com muita lucidez

Comerciais de bebida

Tudo normalizado

Estimulado

Zero riscos aparentes

Mas não, eu cresci e escolhi não beber

Lembrando que a bebida poderia me matar

Enquanto que a planta em questão, nunca, repetindo… nunca, matou ninguém

Nem irá

Talvez isso seja uma novidade para você

Estamos falando de um remédio

Ritualístico e religioso

Ou contemporâneo e medicinal

Remédio que qualquer outra pilula não conseguiu superar, sem trazer junto alguns efeitos colaterais

E o uso recreativo, que deveria se chamar uso adulto, igual denominamos o uso do álcool, é outra história

Eu não indico coisa alguma para ti

Mas alguns índios das nossas terras, tribos africanas, asiáticos e tantos outros, usavam diariamente

Porém eu sei que você não tolera

Não gosta do cheiro

Detesta os maconheiros do seu bairro e aponta para eles na frente dos seus filhos

Mostrando quem é marginal e quem é superior

Pra eles nunca serem desse jeito

E se mostrando ignorante e preconceituoso

Desculpe, mas comigo isso não rola mais

Embora eu nunca te ofereci coisa alguma

Nem nunca irei

Não é disso que estou falando

Lide com os seus problemas

A minha vida vai muito bem, obrigado

Ou seja a brilhante pessoa que você se propõe ser, pois se você é a sábia de todos os assuntos, por favor, visite as mais de dez universidades do mundo em que já iniciaram seus cursos sobre cannabis e os mostre que estão errados

Ou os países que legalizaram

Você os admita tanto

Se prepare pois sua viagem para Nova Iorque irá te mostrar tudo legalizado

Ou para a california

Canadá

Clubes da Europa

E tantos mais

E se não admira os de primeiro mundo, aprenda com o vizinho Uruguay

Ele é pioneiro e muito lúcido

Estão ensinando o mundo inteiro

José Mujica

Não seja superficial

Cem anos de proibição não excluem os seis mil anos corridos dos hindus e de sua deusa maconha

Enterrando bons homens com toneladas de maconha ao seu redor

Ou os haxixes marroquinos e sua história muçulmana

Ou então, mais importante ainda, não conheça nada disso

Não estude

Não se informe

E cuide da sua própria vida

Pense em progredir

Em ir além

E se for pra abrir a boca para dizer qualquer coisa (e espero que diga) que fale com relevância e informação… caso contrário, quem terá preconceitos com o seu julgamento, sou eu

Afinal é muito fácil para um branco falar sobre maconha

Então porque eu não falaria?

Pelo medo da marginalização?

Ignorando o que acontece nas favelas e comunidades brasileiras? Esquecendo da guerra ao tráfico, que é uma guerra contra pessoas e não contra drogas

Pois lidamos com as drogas no Brasil, como segurança pública

Segurança pública

E isso não inclui redução de danos aos usuários, informação sobre os assuntos ou menos hipocrisia

Pelo contrário

Não se pode falar sobre o assunto

Te choca ouvir maconha

E é sempre mais fácil ignorar do que enfrentar como adultos

Qual a diferença para os países com a maconha legalizada?

Eles não lidam mais com isso como segurança pública

Mas sim

Saúde pública

Isso muda tudo

Zero tabu

Total informação

Business

Virou um comércio. A nova indústria do século. Isso não acontecia há muito tempo

Ninguém compra com facilidade

Há leis

Há informação

Há qualidade

Não é no morro que a droga vai parar

Não é seu filho que morre baleado na favela

Nem o meu

Mas mesmo não sendo o meu local de fala, porque não olhamos pra todos com igualdade?

Eu nunca fui revistado por policiais

Olham para a minha cara branca e me deixam passar

Mas meus amigos negros me ensinaram que com eles acontece diferente

Muitos foram presos por nada

A lei Brasileira é vaga, não separa usuário de traficante com medidas claras. Então há o filho de papai que foi solto com kilos. Isso mesmo, kilos

E o amigo da comunidade, que foi preso com menos de uma grama

Algo em torno de um pedaço de unha, para você entender

Ou o outro amigo que continua preso por não respeitarem o uso religioso

Eu não gostaria de estar falando sobre esse assunto

Preferiria ter aprendido sobre isso de maneira clara e sem hipocrisia, na escola ou dentro de casa

E não precisar falar

Mas nunca aprendi

Então fui ler o que as universidades mundiais dizem sobre

E entender que essa proibição foi acima de tudo, racista

Julgamos uma planta que também era de uso dos africanos

A primeira lei do mundo que proibia a maconha, foi uma lei estadual brasileira que proibia não só a planta, como também reuniões religiosas dos negros ainda escravizados no Brasil e costumes culturais destes, que foram retirados brutalmente de seu continente

Pronto. Não tenho mais nada para falar

Como eu já disse, muitos outros falam disso tudo com muito mais propriedade, então devemos apenas ouvi-los

Aprender todos os dias

Ou morrer atrofiado no seu preconceito

Na escuridão em que você constantemente se recusa à trazer luz

O dia terminou

A noite é este silêncio todo

Turbulências naturais

Eu aprendi muitas coisas recentemente com alguns índios brasileiros

Me dói na alma pensar que por tantas gerações recentes, ignoramos esse povo

Os donos dessa terra

Nosso mundo contemporâneo acha que sabe de tudo

Este foi o nosso maior erro

Querer ensinar mesmo sem ter aprendido nada

Ignorância pura

Eu não vou repetir esse erro

Não vivo de hipocrisias

Meus filhos saberão de todas as verdades sem tabus

Pois não há problema algum que não se possa ser resolvido

Ops, corrigindo:

Há problemas que não tocamos no assunto, e esses não podem ser resolvidos

Ainda bem que as próximas gerações depois da minha, serão cara vez mais lúcidas e fortes

Não iremos tolerar desrespeitos com o próximo

E que todos nós, façamos uso dos nossos privilégios, sejam eles sociais ou de qualquer natureza, em prol de quem é minoria, de quem é prejudicado faz muito tempo

De quem perdeu a voz

Para todo o resto: por favor, nunca se calem

Iremos além

O mundo é livre

E o mais inteligente, de todos os tempos

Não almejamos pouco

Lucidez para todos os povos

Liberdade em todas as terras.

Igor Florim