Um dia eu acordei na praia

Foi a noite mais longa da minha vida

A manhã ainda estava se iniciando mas os nadadores já estão por perto

Se ocupando da areia

Dando seus nomes no mar

É engraçado quando acordamos de um sonho profundo e notamos que o mundo já acordou faz tempo

Todos em ação, enquanto eu estava lá – em pleno sono

Mas não me culpo por essas coisas de tempo perdido

Afinal de contas, eu sou tudo o que o tempo me deu

Já não caio mais nessas armadilhas

Mas duvidarão de ti o tempo todo

Querem que tu assuma sua própria inércia

E reconheça que o mundo estaria bem mais pra frente com tua colaboração

Porém eu não entro nesses assuntos

O tempo nunca falhou

E eu tive o espaço que eu quis ter

Tudo no meu ritmo

Porém se tu não se consolidar cedo ou tarde, entrarão no mar sem ti

Como se tua poesia não valesse de nada

Querem te ver assim, desmotivado

Para que não soe nenhuma canção de seu coração

Espero que tu não esteja dando ouvidos para essas coisas rasas e aproveite o dia para mergulhar profundo

Foi assim que eu iniciei a minha manhã

Saltando para dentro das águas

Aqui em baixo parece um universo inteiro, diferente do que eu nasci

Nenhum som

Apenas ruídos

Continuei o mergulho

Fui indo para longe, na expectativa de me perder em outras águas

Tudo muito turbulento

Já não vejo o lugar onde dormi

Nem os nadadores obcecados por coisas rasas

Onde estou já consigo mergulhar sem fim

Como se as águas nunca fossem se acabar

Alguns marinheiros me resgataram, mesmo sem eu estar em perigo

Não confrontei

Aceitei o salvamento

Abdiquei dos meus músculos e apenas fui carregado

Observe, eu não luto contra a maré

Então se tu puxas partes do meu corpo para ti, apenas cedo

Nada contra o fluxo que me carrega

Quando retomei o uso do meu corpo, me levantei num belo navio

Todo coberto de verniz

Nem tudo o que reluz é ouro mas esse veleiro é um dos mais belos do mar

A sociedade dessa embarcação é muito evoluída e sábia

Acho que navegam por muito tempo, vindo de outras águas

Queriam resolver os meus problemas

Fizeram um questionário detalhado na expectativa de me ajudar

Mas já disse para não contarem comigo nesse tipo de ação

Eles precisam é ancorar na praia e ir ajudar aquele povo sem noção

Porém eles falam apenas a sua própria língua

Não querem se misturar

Desde que não mergulhem em suas águas

Me senti preso

Não há muitos lugares para ir em um navio ancorado no oceano

O salvamento que fizeram comigo, foi uma expectativa de se ampliarem

Mesmo que com pouco custo

Tornei à dizer: ajudem os que estão em terra firme, vocês um dia também vieram de lá

Riram muito da minha cara

Notei que eu era um palhaço com figurino e nariz vermelho

Eles queriam um show

Mas não estou aqui para sapatear

Imediatamente saltei para as águas

Estavam me iludindo naquele veleiro

Eles não querem ter muito esforço

Pretendem progredir com os que precisarem de ajuda aqui nessa parte das águas, e nada além

Tentaram me capturar novamente

Mas sou bom em fugas. Percebi que não me deixariam vulnerável o bastante novamente para que eu fugisse na próxima oportunidade

Talvez iriam me prender

E eu não sei lidar com prisões, por isso nadei como nunca antes

Voltei pra praia

Quando eu cheguei, todos estavam preocupados comigo

Porém não sabiam nadar

Veja

Entenda

Analise

O mundo é essa confusão

Criam empecilhos

Faltaram das aulas de nado sincronizado

E organizadamente, sincronizaram suas inércias

Parece que os reinos das águas ou das terras são bem parecidos

Talvez todos viemos do mesmo lugar

E não queremos muito esforço para ajudar alguém

Recolhi a minha barraca, me despedi de todos com muito carinho e deixei para trás o que eu podia deixar, levando somente o necessário

Meus dias tem sido essa saga toda

Na expectativa de numa dessas, me mudar por inteiro

Talvez isso demore pra acontecer

Porém as águas soaram aos meus ouvidos, leves conselhos

Apenas aquilo que eu conseguia ouvir

Tudo no seu devido tempo

Minha mochila nas costas cansando a minha coluna

Quase como carregar o mundo para logo ali

Então quero encontrar o meu lugar

Mesmo que estarei sempre nesse movimento todo

Mergulhando profundamente

Não olhei para trás

Me deixaram partir

Acho que o recomeço é agora. E depende única e exclusivamente do ritmo dos meus passos

Vocês sabem que eu não vou parar

Sigo para frente

E se eu vou atrás do meu sonho, não tem mudança de plano, marujo

Entenda que isso nunca passou pela minha cabeça

Mas sim nos seus próprios raciocínios, que trama pela minha queda ou parada

Já eu, não penso desse modo

Nada mudou, marujo

Mesmo em terra firme, continuo navegando

Vocês deveriam pisar na areia

Ajudar as pessoas

Ou continuar boiando até que a madeira do seu veleiro se desfaça

Podre

O tempo passa

E maresia nenhuma deixarão vocês boiando nas águas para sempre

Se permitam afundar profundo

Conhecer outros universos

É tudo o que digo aos que ficam para trás

Já estou bem afastado dessa ponta do continente

Eu ando rápido em terra firme

Nasci aqui

Nesse chão todo que é o mundo inteiro

E não quero viver de outras formas, em outras águas, fechando os olhos

Eu vivo atento

Portanto, não

Não há mudança de plano

Estes são os meus sonhos

E tem coisa que não muda nunca.

Igor Florim