Certa vez eu levei a minha família para uma cabana no campo

Nos isolamos lá por uns três dias

Acho que nunca sentimos esse tipo de coisa

Ir para longe

Encontrar algo novo

Não havia mais ninguém por perto

Na primeira noite, começamos uma festa logo que o sol se foi

Acendemos uma grande fogueira para nos esquentar do frio e manter os mosquitos um pouco longe

Assamos belas comidas

Rimos da vida

E cada um dos meus filhos trouxe ao menos um instrumento musical

Compondo novas trilhas

Soando novos sons

Cantamos muito. Acho que fazia tempo que eu não chorava de alegria

Uma cena ficou na minha mente

Éramos sete contando comigo

Meus filhos são livres, então cantam e dançam sem se importar com as formas. Acho que a desconstrução se deu no mundo após o renascimento de todos nós

Nos desmontamos

Toda a fortaleza de ser o homem que eu sou, ou as respectivas pessoas que eles são, caíram por terra

Deixamos naquela noite todo o nosso orgulho queimar

Ao som de antigas músicas

Ou de contemporâneos novos ritmos que inventamos durante o luar

Desaprendemos depois desse momento, esse negócio de ser o que não se é

Parece que o mundo também começa a mudar

Os vizinhos desse lugar, foram para longe também

Acho que ninguém nunca está feliz onde está

Quando devem ficar em casa, reclamam da liberdade perdida

O mundo está numa quarentena sentimental

Foi aqui, bem nesses dias em que tudo começou a se transformar

Quando cansamos, o sol já começava a aparecer

Entramos para dentro da cabana, quentinhos

E dormimos o sono dos jovens espíritos

Que nunca serão domados

Feras ao relento

Que brigam entre si numa constante de proteção

Queríamos o bem um do outro

Realmente somos uma família

O mundo depois disso tudo, se transformou em coisas lindas

Era a maior mudança que já sentimos

Nosso peito amava diferente, sem nenhuma dor que machuca de dentro pra fora. Mas confesso que a decisão de ir para aquele lugar foi muito cautelosa porque sempre exitamos diante da mudança

Mas lavamos nossa alma

Renascemos juntos

A fogueira se apagou quando acordamos

Haviam cinzas pra contar história

O vento esparramando-as para longe e trazendo recados do futuro

É de lá que o vento vem

Do lugar onde o mundo ainda está caminhando para chegar

Mas o vento não. O vento é a sua eterna reciclagem

Respiramos profundo essa vida toda

Obrigado meus filhos. Obrigado meu amor. O mundo agora renasce junto conosco

Vocês são os seres mais corajosos que eu já conheci.

Igor Florim