Talvez você nunca irá se conhecer

Andando sem parar

Com tantos pesos nos seus ombros

Tu não se reconhece aqui em vida

Porém não há problema algum nisso. Todos estamos evoluindo… e nossos amigos de outras dimensões nos acompanhando e gritando

Enfrente

Sempre enfrente

O que vier, enfrente

Escutei de um pássaro que viver é sempre continuar em frente

Então existem muitas coisas acontecendo

O que diferencia uma ou outra evolução é o ritmo

Mas todos evoluem

Se libertem – cantam os pássaros

É isso o que todos os pássaros dizem nos dias de hoje

Tudo caiu

O falso moralismo caiu

A hipocrisia acobertada caiu

Os velhos costumes já não estão de pé

Caindo

Queria entender um pássaro voando

Agora que sei que todos os animais são existências concretas

Assim como eu e você somos

Nós ainda não evoluímos a ponto de entende-los

Mas eles conversam entre si

Todas as espécies

Cruzando os céus

Ou os que nadam em rios e mares

E os da terra

Todos se movendo

Se escondendo do mau tempo dos céus

E o mundo caindo

Era tanta água, que eu e meu amigo ficamos lá, paradinhos em baixo da árvore

Eu não sei quando vou novamente voar, talvez essa chuva nunca acabe

E o mundo caindo

Desconsiderei tudo e todos naquele exato momento

Pensei apenas em mim

Acho que o meu fim vem nesses próximos instantes

Morto afogado em tanta água e lama

Repensei apenas em mim

Quanta coisa eu já vivi

Me dei um abraço bem forte

Fechei os olhos, respirei profundo

Aquela árvore toda maluca com o vento da chuva

Meu rosto molhado, meu corpo gelando, ah que saudade eu sinto de laranjeiras

Aqui no interior eu me inundo

Mas lá na praia eu era guia nos céus

Cruzando a praia toda

Tramando a próxima dança

Agora é o mundo me atravessando

O rosto inundado

A minha alma transpassando

E então vi uma luz muito forte cruzando os céus

De baixo pra cima

Suspirei profundo

Meu corpo caiu

Minha alma voou junto da nave luminosa que cruzava o céu

De baixo para cima

Recomecei tantas vezes

E no fim, só eu sei o que eu vivi

Então sempre lembro daquele abraço que eu dei em mim

Do afago profundo

Da compreensão completa

Respeite todos os outros

Se libertar é isso

Todos são livres

Pare de ditar caprichos do seu ego

Se torne um índio contemporâneo e busque seu próprio conhecimento

Abandone todos os medos

Ah… aquele temporal foi uma loucura

E eu sempre recomeço muitas vezes mais forte

Mas nunca espere nada de mim

Eu vivo a missão da minha vida

E isso é tudo o que eu sou.

Igor Florim