Talvez o mundo inteiro não te note

Sorte a sua

Seremos eu e você, imperceptíveis pelas ruas, aeroportos, praias

Acho que estou bem

Os últimos dias foram violentos

Eu me agredia sem parar

Não consegui dizer não à violência

Mas foi um caminho necessário

Me amo demais

E o mais incrível de perceber erros é a consciência que isso te traz

Você decide

Ao saber que errou, errará amanhã na mesma coisa? se lembrando do ontem?

Eu não quero mais falar contigo

Sinto muito, mas não quero

Não tenho obrigação alguma com ninguém além de mim

Com minha consciência própria

Nela eu sei o que devo ou não fazer

Quem eu devo ou não encontrar

Então não me venha com o seu discurso emocionado

Parece um político que de tão cego atua a cegueira pra que todos vejam a concreta ilusão sólida dos seus versos

Seguram firme na sua mão

Acreditam cegamente

Esse ciclo nunca termina no Brasil

Por favor, jovens políticos, façamos a nossa parte

Parece que você não me escuta

E eu partindo de ti

Indo pra longe

Será que o ônibus para laranjeiras passa aqui nessa rua?

Eu não vou parar até subir nesse ônibus

Embarcar pro futuro

Tem uma galera me esperando me por ali

É pra lá que eu vou

Não quero mais ser cinza

Mostrei todas as cores

O mundo todo seguiu o meu blog, porém sinto em desaponta-los, tudo o que eu escrevo aqui é de responsabilidade sua

Não sou eu o leitor

Eu escutando um tango violento nos fones de ouvido

Correndo nessa mesma rua

Eu não vou parar

Encontrei o ônibus

Sentei no fundo

Essa ventania no meu rosto

O mundo todo correndo do lado de fora

Na mesma rua

Ah se você morasse nessa rua

Com certeza eu não embarcaria para laranjeiras

Ficaria aqui, escutando o seu som, fazendo um cigarro cítrico pra recarregar a Vitamina C dos nossos corpos

E transformando esse barulho todo, em música de verdade

A gente soando por aí

Altos sons

Vários sonhos

O tango comendo solto

É com você que eu estou

A gente trabalhando todos os dias

Esse ônibus vai demorar até chegar em laranjeiras

Olha só o trabalhão que você me dá

Mas compreenda, de ti eu nunca sumo

Essas foram as palavras dele

Achei tão bonito quando disse que nunca some de mim

Logo ele

A nossa música seguia o seu ritmo, os violões marcando belas notas, nossos pulmões à flor da pele sustentando longas melodias

E é assim que a gente termina o dia

Eu acendendo aquele cigarro

A gente ascendendo passeando pela praia

Essa noite iluminada

Seu olhar pro infinito do mar

Será que essa noite é pra sempre?

Eu não queria mudar nada

Nenhum passo que eu já dei para chegar até aqui

Eu não mudaria nada

Porque agora está perfeito

Você assim

O vento dessa noite

Tudo o que você me contou

Os abraços constantes

O nosso cigarro queimando

Será que essa noite será eternamente assim?

E a vida é o maior espetáculo que eu já participei

Tudo é um show

Um play em movimento

Como em um filme

Nada se repetindo

E nessa possibilidade de momentos únicos, respiramos bem fundo nas areias da praia do Flamengo

A vida se mostrava pra nós

Estou assistindo uma peça ao vivo

E a vida corrói o que já passou

O atual vem queimando tudo

Mostrando que o tempo de viver é agora meu amor

Então abandonemos esse lindo momento na praia do Flamengo e vamos além

Quem sabe navegar

Ou subir pro catete, tem uma festa acontecendo ali em cima

E se eu não te disse ainda, entenda que eu te amo

E estou dizendo agora

Eu te amo

Olhando no fundo dos seus olhos

Obrigado pela música

Numa dessas criamos uma canção eterna, assim, sem querer

Quem sabe assim a gente cante para sempre juntos

Agora vamos revolucionar

Subir Laranjeiras

Tem tanta gente lá

Ah que saudades dessa praia.

Igor Florim